Minerva (BEEF3) vê espaço para aumentar conexão com Oriente Médio - Minerva Foods | Criando conexões entre pessoas, alimentos e natureza.
Minerva (BEEF3) vê espaço para aumentar conexão com Oriente Médio

Minerva (BEEF3) vê espaço para aumentar conexão com Oriente Médio

13/06/2024

Compartilhar em:

Minerva (BEEF3) vê espaço para aumentar conexão com Oriente Médio

A Minerva (BEEF3), maior exportadora de carne bovina da América do Sul, já tem no Oriente Médio uma região importante para venda de sua produção. Mas há espaço e demanda para aumentar essa conexão, especialmente frente ao desafio global de se aumentar a produção alimentar.

Fernando Queiroz, CEO, Minerva Foods, participou nesta quinta-feira (13) do FII Priority Summit, encontro internacional que acontece no Rio de Janeiro e reúne de líderes e executivos para debater oportunidades de investimento capazes de propiciar aos países crescimento sustentável.

Na visão de Queiroz, a parceria entre Brasil e Arábia Saudita abre oportunidades de se criar um hub de produção no Brasil e outro de logística no país do Oriente Médio, algo que permite contribuir de forma ainda mais significativa diante da necessidade global de alimentar as pessoas.

Uma das principais oportunidades na relação bilateral refere-se ao Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita (PIF), que tem portfólio de cerca de US$ 1 trilhão em investimentos. Conforme Queiroz, um relacionamento construído na base da confiança e da sinergia de negócios permite multiplicar o tamanho da companhia por cinco.

Outro ponto discutido durante o evento foi sobre os riscos e desafios na cadeia produtiva frente a um mundo polarizado. Em relação ao crescimento de medidas ecoprotecionistas, como no caso da Europa, que tem buscado aumentar as barreiras a produtos oriundos de áreas desmatadas, por exemplo, o executivo da Minerva observa que o Brasil se destaca por contar com um equilíbrio entre meio ambiente, produção de carbono e de alimentos. Ainda assim, setores público e privados precisam trabalhar com regras claras de sustentabilidade para garantir o livre comércio, na visão dele.

“Sustentabilidade também tem a ver com o fornecimento digno de alimentos e trabalhando com regras claras portas serão abertas para termos alimentos a preços mais baixos, incluindo a proteína. Vejo nisso uma grande oportunidade, já que a produção de alimentos é fundamental para o crescimento de países em desenvolvimento.”, pontuou.

Fonte: Valor Investe.